Foto: Bombeiros/ Divulgação

Da redação | A Polícia Civil vai remeter à Justiça nesta semana o inquérito que norteou as investigações sobre o incêndio a um ônibus da Vicasa, em Canoas, ocorrido em agosto. Quatro pessoas foram indiciadas por tentativa de homicídio e organização criminosa. Duas delas estão presas. As demais seguem foragidas.

Conforme a Agência GBC havia noticiado, Yarllison Deloni de Mello da Silva, 24 anos, foi capturado em uma casa, no dia 31, no bairro Rio Branco. Ele é acusado de jogar um galão de combustível e colocar fogo no coletivo. Yarllison é um conhecido incendiário. Em 2016, ele ateou fogo na casa da ex-companheira, no Guajuviras.

No dia 2, Roger Figueira Fogaça, 23, foi encontrado em uma casa no Igara. Para a Polícia Civil, ele teria conduzido o carro usado pelos criminosos para chegar até o ônibus. Tanto Roger quanto Yarllison confessaram o crime.

No decorrer das investigações, a Delegacia de Homicídios ouviu os passageiros que estavam no coletivo. Imagens de câmeras de segurança também foram usadas pelos agentes para ajudar na identificação dos autores.

Conforme a polícia, os criminosos são oriundos do bairro Rio Branco, e queriam chamar a atenção de um grupo rival do Mathias Velho. Yarllison, então, ateou fogo no veículo. Porém, o incêndio não teria sido planejado em conjunto com os demais criminosos.