Foto: JL Balestrin/GBC

Da redação | Dois criminosos foram presos após arrombar uma agência do Banco do Brasil na madrugada desta quinta-feira (14) na Avenida Rio Grande do Sul, no bairro Mathias Velho, em Canoas. Eles foram identificados como Gilmar Flores Vieira e Maurício da Silva Konarzewski – que estava foragido.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Ambos estavam fugindo em um VW Gol vermelho quando os policiais chegaram no local.

Entenda o caso

Um policial civil estava de folga e participando de um churrasco com amigos numa cidade distante cerca de 50 quilômetros de Canoas quando recebeu a mensagem de um amigo. O conteúdo, escrito por um vizinho da agência bancária, relatava barulhos de quebra-quebra no local.

Agência fica em uma das avenidas mais movimentadas da região (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Rapidamente, com um colega de outra delegacia, o agente da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) o civil de folga, se deslocou para Canoas. Com o apoio da 1ª Companhia da Brigada Militar (BM), eles pegaram Gilmar e Maurício.

Os bandidos conseguiram quebrar um buraco na parede lateral do banco, mas não conseguiram acessar a área interna da agência. Dois criminosos conseguiram fugir e ainda não foram localizados. Porém, a BM faz buscas na região. O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) foi acionado e esteve no local para averiguar se havia explosivos no local. Porém, só foram achados equipamentos de perfuração e mochilas.

Materiais apreendidos no local (Foto: JL Balestrin/GBC)

O delegado Pablo Queiroz Rocha, titular da DPCA, salientou que esta cena de crime é bastante difícil e que a ação foi coroada de êxito, com a prisão de dois indivíduos e com a interrupção da empreitada criminosa sem que fosse consumado o furto ao banco. Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, ressaltou a importância da ação proativa dos policiais e a abordagem técnica, sem açodamento e com o correto emprego da técnica policial. Salientou também o qualificado apoio da BM, não só nos atos de prisão, como também nos atos para assegurar que não havia mais riscos no local dos fatos, tendo havido amplas buscas por explosivos e também por possíveis foragidos.

O local está isolado para o trabalho da perícia.