Foto: Marjuliê Martini/MP-RS

Um grupo de empresas do ramo farmacêutico, que tem uma distribuidora em Canoas, deve mais de R$ 150 milhões ao ICMS. Por isso, ele é alvo de uma operação de órgãos estaduais na manhã desta quarta-feira (4). Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em oito residências de Porto Alegre, e em seis empresas de Canoas.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A investigação foi realizada em conjunto entre o Ministério Público (MP), Receita Estadual e a Procuradoria Geral do Estado. A apuração constatou que existe uma “fraude fiscal estruturada” em que a empresa, que possui a operação de um conglomerado formado por uma atacadista de medicamentos de Canoas e empresas que distribuem remédios em todo o país.

Os promotores do MP apontam que os responsáveis pelo grupo são suspeitos de praticarem os seguintes crimes: sonegação de impostos, blindagem patrimonial, além de organização criminosa.

Para a prática dos crimes, o chefe do grupo que é proprietário de uma atacadista de medicamentos, criava empresas em nomes de familiares e laranjas. Durante a investigação, pelo menos 10 empresas que foram baixadas, além das que estão em atividade, devem milhões em impostos.

O nome da empresa ainda não foi divulgado. Uma coletiva do Ministério Público será realizada ainda nesta manhã para detalhar o caso.