Foto: JL Balestrin/GBC

Desde a segunda quinzena de novembro, comerciantes e moradores do bairro Mathias Velho, em Canoas, convivem com uma obra da Corsan que bloqueia um trecho da Avenida Rio Grande do Sul. Um buraco foi aberto entre as ruas Camaquã e Pelotas.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Entre os relatos de quem anda pela região estão o mau-cheiro e a velocidade em que a obra está andando. Os serviços começaram em outubro quando o pavimento começou a ceder no trecho, porém o buraco foi fechado dias depois, porque os funcionários da Companhia Riograndense de Saneamento, relataram que não sabiam o que fazer. Voltaram no dia 18 de novembro, com a promessa de que os trabalhos durariam três dias, mas o prazo não foi cumprido. “A obra não está andando muito não. Faz mais de 15 dias que a gente vê aquele buraco aberto. Um dia trabalham, no outro não”, relata a empresária Janice Masschmann.

Janice é proprietária de uma loja de móveis na região de bloqueio da obra. Para a reportagem de Agência GBC ela relatou que teve uma queda de 50% nas vendas. “Não tem movimento. O cliente não tem como chegar aqui. Estamos em dezembro, época em que precisamos vender mais e estamos aí parados. Nem na Black Friday tivemos sucesso. Esse final de ano ta bem difícil”.

Janice sente o prejuízo no bolso desde que a obra começou (Foto: JL Balestrin/GBC)

Enquanto essa obra não parar, Janice reforça que “o prejuízo não para. Preciso pagar as contas”.

“Meu lucro foi para o buraco”

O proprietário de um supermercado na mesma região, Sidinei Hubner, inaugurou no dia 15 de novembro, três dias antes da obra começar. “Inauguramos na sexta. No final de semana teve bastante movimento. Aí na segunda começaram a abrir o buraco”, conta.

A queda no movimento do supermercado chega a 80%. “Não tenho como mensurar o prejuízo. Nem parei para contar, porque se não bate a tristeza. Tá um caos! Não tem o que fazer”, relata.

Obra com prazo para conclusão

Procurada, a Corsan informou através da assessoria de imprensa, que foram instalados dois poços de visita e que um estava em execução. A previsão é que até 13 de dezembro o local seja totalmente liberado.