Foto: Jaime Zanatta/ GBC

Após dois casos suspeitos de coronavírus serem registrados em Canoas, conforme divulgou a Secretaria Estadual da Saúde (SES) na quinta-feira (27), as farmácias da cidade passaram a contabilizar uma procura maior que a normal por máscaras e álcool em gel. A demanda, gerada pela preocupação com o contágio pelo vírus, zerou a oferta dos itens de higiene nos estabelecimentos.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A reportagem de Agência GBC circulou por 10 lojas do Centro de Canoas na tarde desta sexta-feira (28). Cinco delas estão situadas no Calçadão –  somente uma ainda contava com máscaras e álcool em geral, mas em poucas quantidades. Nas demais cinco, localizadas em duas quadras da Rua 15 de Janeiro, apenas três tinham os dois produtos.

Foto: Jaime Zanatta/ GBC

No geral, nas lojas onde ainda havia estoque, a expectativa era de falta até o fim do dia. “Hoje pedimos um carregamento de 100 unidades de máscaras. Sobraram 20, que devem sair até o fim do dia”, diz o gerente de uma das farmácias visitadas que ainda contava com o produto.

Os preços também mudaram rapidamente. Na quinta-feira, ainda era possível encontrar máscaras e álcool em gel a preços razoáveis. Nessa sexta, porém, os valores subiram, tendo em vista a procura. Em algumas farmácias, clientes saíam com 10 ou até 20 máscaras.