Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem foi preso por abuso sexual nesta quinta-feira (14) em Sapucaia do Sul. O acusado estuprava uma adolescente desde os 13 anos. A ação foi realizada pelos agentes da 1ª Delegacia de Polícia de Sapucaia do Sul.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Conforme a Polícia Civil, os abusos começaram em 2018. Na época, a menor morava na casa do avô – que era vizinho do preso –. Nessa mesma época, a vítima começou a trabalhar na casa do acusado e da ex-mulher como babá dos filhos do casal.

Com a vítima dentro de casa, ele começou a praticar os estupros. Foram diversas vezes. A menor acabou ficando grávida. Durante a gestação, o preso abandonou o casamento e os filhos para residir com a adolescente e a recém-nascida. O criminoso manteve as duas em cárcere privado.

Depois de denunciar os crimes, a adolescente a criança, de um ano, estão em um abrigo de Sapucaia do Sul. O Conselho Tutelar está garantindo que ela fique longe do acusado, consiga freqüentar a escola e ter contato com os familiares.

Porém, o acusado conseguiu infiltrar, segundo a polícia, um celular dentro do abrigo. Ele encaminhava mensagens a adolescente, ameaçando-lhe de matar caso ela se relacionasse com outros adolescentes da instituição. Além disso, o preso a aliciou a ter relações com outra menor de 13 anos que também está acolhida no local. Ele chega a questionar, em uma das mensagens, se a outra adolescente teria interesse em manter relações sexuais com ele.

O preso tem um grande histórico de antecedentes. Ele já respondeu por tentativa de homicídio, estupro de vulnerável, e ocorrências de violência doméstica e familiar.

A delegada Luciane Bertoletti, titular da 1ª DP, afirmou que “foi uma investigação complexa e que descobriu e encerrou situação grave de crime contra adolescente.” O delegado Mario Souza, diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana – (2ª DPRM), reforçou que “essa é mais uma  das tantas ações de combate o contexto de pedofilia no Município de Sapucaia do Sul”.