Foto: reprodução

Antes de ser morto pela mãe, Alexandra Dougokenski de 32 anos, o menor Rafael Mateus Winques de 11 anos, escreveu uma homenagem para a mãe. Em uma tarefa da escola, ele precisava completar uma frase: “Minha mãe é…”. O menino escreveu: “Maravilhosa!”. 

Pessoas próximas a família, relatam a polícia, que o garoto enxergava a mãe com “muito orgulho”, como a pessoa que ele “mais confiava e amava no mundo”.

Entenda o caso

Alexandra Dougokenski, 32 anos, mãe do menino Rafael Mateus Winques, 11, encontrado morto ao lado de casa, em Planalto, no norte do RS, reafirmou em depoimento neste sábado (30) que não teve intenção de matar o filho. Ela está presa no Presídio Feminino de Guaíba.

O depoimento foi dado no Palácio da Polícia, em Porto Alegre – o terceiro desde que o corpo do menino foi encontrado, na última segunda-feira (25). O delegado Eiberth Moreira Neto, responsável pelo caso, confirmou que irá pedir a reconstituição do crime.

Alexandra manteve a sua versão, explicando que decidiu ocultar o cadáver do filho depois de verificar os sinais vitais dele e perceber que estava morto. Segundo o advogado Jean Severo, Rafael passou mal após a mãe dar diazepam. Conforme ele, Alexandra ficou desesperada e abalada psicologicamente.

Leia mais >> Do sumiço à confissão: mãe matou o filho e escondeu o corpo ao lado de casa

Ao perceber que o filho estava morto, ela teria arrastado o corpo dele com uma corda até a casa ao lado. A própria mãe comunicou o “desaparecimento” do menino.  A mulher alegou que cometeu o crime sozinha.