Foto: Jaime Zanatta/GBC

A Sociedade Rio-grandense de Infectologia divulgou nota afirmando que diante da “grave situação epidemiológica da Covid-19 no Rio Grande do Sul”, são insuficientes as medidas adotadas até o momento para conter a pandemia. A situação está evoluindo, de acordo com o texto, para um grave comprometimento do atendimento dos pacientes infectados pelo coronavírus.

A nota da sociedade, com data de domingo (12), considera os números de mortos e contaminados em Porto Alegre, com destaque para os óbitos por covid-19, que duplicaram em duas semanas, e no Estado, ressaltando que a epidemia está em crescimento “acelerado”, “determinando impacto na capacidade de atendimento hospitalar, em unidades de terapia intensiva”.

Segundo a categoria, a “velocidade de propagação gera demanda adicional ao sistema de saúde, que já enfrentava sobrecarga prévia, impactando na assistência a outras doenças. A diminuição de recursos humanos por adoecimento de profissionais é uma realidade e agrava ainda mais a situação dos hospitais”, acrescenta o comunicado.

A diretoria da instituição finaliza a manifestação alegando esperar que “medidas mais rigorosas sejam consideradas e organizadas antes do atingimento do colapso do sistema de saúde, cenário que acarretará diversas mortes evitáveis”.