A Agência GBC iniciou na noite desta terça-feira (13) a série de entrevistas com os candidatos à prefeitura de Canoas. Hoje, o entrevistado será Camilo Bórnia (NOVO).

Durante 20 minutos o candidato falou sobre seus planos para caso seja eleito prefeito de Canoas, o que o levou a concorrer ao cargo, questões econômicas que o município enfrenta, saúde, segurança pública e mobilidade urbana.

Segundo o candidato, Canoas tem uma estrutura muito grande com mais de 700 CCs e 22 secretarias. Ele enaltece que geograficamente a prefeitura está bem espelhada pela cidade. Devido a isso, acaba tendo muita burocracia na hora em que um Canoense ou empresa queira resolver algum problema. “Queremos que os cidadãos resolvam todos os seus problemas numa tacada só. Tirar a burocracia, criar projetos junto aos vereadores. Vamos enxugar a máquina e tirar os ‘jabutis’ que atrasam os trabalhos”, afirma.

Outro projeto de Camilo é fazer com que a prefeitura cobre menos importo dos canoenses “Queremos fazer com que o município recolha o menos possível de imposto, para que a população consiga abrir o seu próprio negócio ou até mesmo construir sua casa. Também visamos fazer com que as empresas fiquem mais competitivas, fazendo assim, a economia andar. Na mão do governo a economia não anda”, coloca.

Para o candidato o sistema de transporte de Canoas é um fracasso, porém, ele reconhece que no passado funcionava, pois, segundo ele não havia tanta concorrência e nem tecnologias. “A nossa ideia é conversar com as empresas para chegar a um meio termo para resolver este problema. Entendemos que há um contrato engessado, mas queremos dar liberdade para as empresas de transporte trabalharem da melhor forma que conseguirem ofertar, mas, em contra partida ela terá que abrir mão do monopólio. Assim, haverá mais concorrência e melhores serviços serão prestados, pois dessa forma elas vão lutar para conquistar passageiros”, explica.