Foto: Jaime Zanatta/GBC

João Batista Rodrigues Freitas de 65 anos acompanhou na manhã deste sábado (21) o velório e enterro do filho no Cemitério Municipal São João, em Porto Alegre. João Alberto Freitas de 40 anos foi agredido até a morte por dois funcionários do Carrefour dentro da filial da Avenida Plinio Brasil Milano.

Leia mais:

Sob aplausos e pedidos de justiça, corpo de homem morto no Carrefour é enterrado

Ao longo dos atos de despedida, João recebeu condolências das dezenas de amigos e familiares que foram se despedir de Beto. Durante o cortejo, ele andou junto ao caixão e puxou uma salva de palmas para o filho, antes do encerramento da cerimônia. “É muito horrível. Eu ainda não vi nem os vídeos do meu filho apanhando”, comentou após o enterro.

Em conversa com a imprensa, João falou sobre os dois funcionários do Carrefour que foram presos pelo homicídio. “Eu não sei, se aqueles dois lá tem pai. Mas, se eles tiverem, que o pai fique com vergonha o dia de olhar a cara deles, porque são uns covardes”, finalizou.