Foto: Foto: Alisson Moura/Prefeitura de Canoas/Divulgação

A infraestrutura e os insumos para a aplicação da vacina contra a Covid-19 em Canoas estão sendo organizados para começar a vacinação na próxima quarta-feira (20). Os primeiros canoenses a receberem a vacina serão a população idosa que reside em asilos, os profissionais que atuam na linha de frente no combate à pandemia e os indígenas, conforme determinação do Ministério da Saúde.

Em encontro virtual com a Frente Nacional de Prefeitos, nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou o início da vacinação contra a Covid-19 no dia 20 de janeiro, às 10h, simultaneamente em todo o país. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve se manifestar no domingo (17), dando o seu aval.

A partir da aprovação do uso emergencial, caberá ao Ministério da Saúde fazer a distribuição em todo território brasileiro. Serão 8 milhões de doses aplicadas em janeiro. Dessas, 2 milhões são da AstraZenica (2 doses, sendo a segunda aplicada em 3 meses) e 6 milhões do Butantan (2 doses, sendo a segunda aplicada em 21 dias).

Na próxima terça-feira (19), será apresentado o cronograma no Palácio do Planalto. A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar um terço dos brasileiros até o fim do primeiro semestre. Pazuello, porém, considera “pífia” a quantidade de vacinas importadas, e que o Brasil só terá quantidade suficiente de vacinas se as produzir. No próximo final de semana, chegam da Índia 2 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford. “Não vamos abrir mão de nenhuma vacina”, enfatizou.

O ministro solicitou que as prefeituras verifiquem seus depósitos, além da logística para as salas de vacinação, insumos, EPIs, seringas e material de controle. Na campanha de vacinação, será usado o aplicativo Conecte Sus. Com isso, todas as UBS estarão interligadas através do prontuário digital. Como o efeito da vacina demora entre 30 e 60 dias, Pazuello alertou sobre a importância de a população continuar com os cuidados.

Para o prefeito Jairo Jorge, a reunião com o ministro foi “extremamente positiva”, porque dá a sinalização concreta de que a vacinação começa na próxima quarta-feira. Porém, está preocupado com o veto às prefeituras em adquirirem diretamente as vacinas. “Penso que nós poderíamos ajudar o governo federal na medida em que as prefeituras que hoje têm mais condições pudessem adquirir. Lamento essa restrição. Respeito, claro, a decisão do ministro, mas penso que nós poderíamos estar colaborando”, afirmou. A quantidade de doses que Canoas receberá agora só será conhecida na segunda-feira (18).

O importante, na avaliação do prefeito, é que está sendo dado o primeiro passo, mesmo que nesse momento ainda se atinja um percentual pequeno da população. “Estamos preparados, trabalhando para já começar a vacinar. Vamos até às instituições, sejam asilos ou instituições de longa permanência e nas instituições hospitalares. Vamos usar, claro, nossa rede de atenção básica em saúde para que os profissionais da saúde possam ser vacinados, porque eles estão na linha de frente, e esse trabalho deles é essencial”, ressaltou Jairo Jorge.