Foto: Reprodução

Bruno Lara | brunolara@agenciagbc.com

A bancada do PT na Assembleia Legislativa publicou nesta sexta-feira (12) uma nota criticando a pré-candidatura do governador ao Planalto. Assinada pelo líder do partido, deputado Pepe Vargas, o documento diz que Eduardo Leite (PSDB) não agiu para combater o aumento da pobreza no estado. Também questionou o uso de dinheiro público para pagar o almoço no Galpão Crioulo para comitiva do PSDB.

Após Leite declarar que percorrerá o Brasil para levar boas conversas, a nota dos petistas sugere que o governador não conhece bem o estado e que antes ele deveria se preocupar em percorrer o Rio Grande do Sul. “Poderá constatar o sofrimento do povo gaúcho com os efeitos de duas estiagens; a crise dos pequenos negócios diante da pandemia; a fome que voltou ao cenário gaúcho com a ausência do auxílio emergencial e de qualquer programa de renda. São três temas que refletem o aumento da pobreza no RS e sobre os quais o governo Leite não agiu”, alfineta.

Com o título de “Os limites entre partido e governo”, a ofensiva do PT também questionou quem pagou o almoço, já que o Galpão Crioulo do Palácio Piratini é um espaço para eventos oficiais.  “Considerando o caráter partidário e pré-eleitoral do almoço no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, é importante que o governo esclareça se os participantes arcaram com as despesas decorrentes deste encontro”, questionou.

Confira a nota na íntegra

Os limites entre Partido e Governo

Diante das diversas notícias sobre o anúncio do governador Eduardo Leite de pré-candidatura à presidência da República, em evento no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, nesta quinta-feira, três questões devem ser tratadas:

1 – O Galpão Crioulo é um espaço para eventos oficiais do Governo, para tratar de temas de interesse do Estado. No entanto, o governador Eduardo Leite, usou o espaço oficial para receber uma comitiva de deputados do PSDB, uma fração do seu Partido, para articular a disputa interna do PSDB na corrida à campanha presidencial

2 – Considerando o caráter partidário e pré-eleitoral do almoço no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, é importante que o governo esclareça se os participantes arcaram com as despesas decorrentes deste encontro.

3 – Entendemos que antes de percorrer o Brasil em campanha, o governador Eduardo Leite deveria percorrer o Rio Grande do Sul. Com isso, poderá constatar o sofrimento do povo gaúcho com os efeitos de duas estiagens; a crise dos pequenos negócios diante da pandemia; a fome que voltou ao cenário gaúcho com a ausência do auxílio emergencial e de qualquer programa de renda. São três temas que refletem o aumento da pobreza no RS e sobre os quais o governo Leite não agiu.

Deputado Pepe Vargas, Líder da Bancada do PT na ALRS