Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um empresário da área de marketing que mora em Canoas recebeu a visita da Polícia Civil nesta quarta-feira (9). Ele era um dos alvos da 8ª fase da Operação Internacional Luz na Infância e é investigado por armazenar e compartilhar pornografia infantil.

De acordo com a delegada Eliana Parahyba Lopes, que coordenou a ação, foram apreendidos na casa do homem de 54 anos, que não teve o nome divulgado, computadores e celulares. “Esse material será enviado para a perícia”, conta a delegada.

Leia mais notícias de Canoas

Dois criminosos foram presos na ação. Um motoboy de 36 anos em Ijuí e um estoquista de lojas de 28 anos, em Porto Alegre. Com ele, ainda foram apreendidos R$ 19 mil e há suspeita de repassar materiais criminosos pra fora do país.

Conforme a legislação brasileira, é crime armazenar, produzir e compartilhar conteúdo sexual envolvendo crianças e adolescentes. A pena para quem armazena esse tipo de conteúdo varia de 1 a 4 anos de prisão, de 3 a 6 anos pelo compartilhamento e de 4 a 8 anos pela produção de conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual.

Objetivo

Segundo a delegada, a meta é, sobretudo, proteger crianças e adolescentes do elevado número de “predadores” que têm se multiplicado na Internet. “Também queremos chamar atenção para o papel dos pais nessas situações, os quais devem estar sempre alertas e vigilantes, inclusive, fazendo uso de dispositivos que assegurem o controle parental”, explica.