Foto: Jaime Zanatta/GBC

Mais de 100 pessoas fizeram fila para garantir o gás de cozinha por R$ 45 em Esteio nesta segunda-feira (19). Quem chegou depois das 15h, já ficou sem lugar na fila.

Receba as notícias de Esteio no WhatsApp

A ação foi promovida pelo Sindicato dos Petroleiros do RS (Sindipetro-RS). A campanha “Gás a preço Justo” subsidiou pela metade do preço, 100 botijões de gás de cozinha de 13kg. Conforme a entidade, é possível vender gás de cozinha a um preço mais baixo do que é praticado hoje no mercado, levando em conta o custo de produção nacional, mantendo o lucro das distribuidoras, revendedoras, da Petrobrás e a arrecadação dos impostos dos estados e municípios. “A nossa ação é uma forma de chamar a atenção pelo o que estão fazendo com o nosso povo, famílias voltaram a usar lenhas para cozinhar, sendo o Brasil um país produtor de petróleo”, diz Fernando Maia da Costa, presidente do Sindipetro-RS.

O sindicato também informou que pressiona os políticos de todas as esferas para a mudança na política de preço da Petrobrás. “Com o anúncio da venda da Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP), em Canoas, e seus terminais e oleodutos, toda a sociedade gaúcha perde. Além da redução na arrecadação dos repasses de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para o estado, o preço do combustível e gás de cozinha vai aumentar para o consumidor”, escreveu em nota a entidade.

O último a garantir um espaço na fila foi o músico Elias Coimbra. “Vim aqui exatamente pelo preço. Do jeito que ta a situação, não tem como perder”.