Foto: Renato Dias/Correio do Imbé

A mãe que confessou ter matado o filho de 7 anos disse para a polícia que ele era teimoso e que se negava a comer. No depoimento, após confessar o crime, ela mesma relatou torturas físicas e psicológicas que eram sofridas pela criança. A mulher de 26 anos foi presa em flagrante por homicídio após procurar a delegacia de polícia de Imbé, no Litoral Norte, para, inicialmente, comunicar o desaparecimento do filho na noite da última quinta-feira (29).

Receba as notícias no WhatsApp

De acordo com a polícia, a mulher disse que deu fluoxetina para a criança e depois colocou o corpo em uma mala. Em seguida, ela saiu com a companheira e na beira do rio, tirou o filh da mala e arremessou no rio. Ela não sabe se ele estava morto.

Ela também relatou ao delegado que decidiu registrar o caso como desaparecimento porque acreditou que assim o crime não seria descoberto. O garoto seria o único filho dela.

A mulher levou a criança em uma mala de rodinhas até a beira do rio. Os policiais descobriram na casa dela, que a criminosa já tinha comprado dois cadeados com intuito de acorrentar o filho

O que acontece com a companheira?

A companheira não foi presa. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Antônio Carlos Ractz, há indícios de que ela sofra de problemas mentais. Por isso, responsabilidade dela será apurada ao longo da investigação.

Buscas ao corpo

Os bombeiros iniciaram ainda durante a noite de quinta-feira as buscas ao menino, que foram interrompidas na madrugada. A procura foi retomada na manhã desta sexta-feira.