Foto: Reprodução

O caso da mãe que matou o filho de sete anos no Rio Tramandaí na quinta-feira (29) teve uma atualização importante nesta quarta-feira (4). Conforme apuração do jornalista Vítor Rosa, de GZH, Yasmin Rodrigues terá como seu advogado o mesmo profissional que atua no famoso caso do menino Bernardo Boldrini, que foi dopado, morto e enterrado pelo pai e pela madrasta em 2014.

Leia mais notícias desta quarta-feira

O advogado Jean Severo defende Edelvânia Wirganovicz, amiga de Graciele Ugulini (madrasta de Bernardo), que foi condenada a 23 anos por homicídio triplamente qualificado em Três Passos. É ele o responsável também pelo caso de Alexandra Dougokenski, mãe de Rafael Winques, que confessou matar o filho asfixiado. 

O pai do menino Miguel de 7 anos, morto e jogado no Rio Tramandaí pela própria mãe, foi encontrado pela equipe de reportagem de GZH na terça-feira (3). Com 28 anos e desempregado, o jovem foi identificado como João Pedro Ewert. Segundo ele, quem mantinha mais contato com o menino era a sua mãe, através das redes sociais. 

Entenda o caso

Yasmin Vaz dos Santos, de 26 anos, foi presa em flagrante após procurar a delegacia de Imbé para comunicar o desaparecimento do filho Miguel, de apenas 7 anos. Ao longo da conversa com os policiais, ela confessou que dopou a criança e jogou no rio.

De acordo com a polícia, a mulher disse que não tinha nenhum sentimento pelo filho e deu fluoxetina para a criança antes de colocar o corpo em uma mala. Em seguida, ela saiu com a companheira e na beira do rio, tirou o filho da mala e arremessou no rio. Ela não sabe se ele estava morto.

O corpo ainda não foi localizado. Bombeiros que trabalham nas buscas acreditam que o corpo da criança pode estar no mar.

A Agência GBC tentou contato com Jean Severo, mas não obteve retorno.