Educadoras de Canoas passam o final de semana buscando em casa estudantes que largaram a escola | Agência GBC
19.8 C
Canoas
28 de setembro de 2022

Educadoras de Canoas passam o final de semana buscando em casa estudantes que largaram a escola

No total, Canoas tem 290 estudantes fora da escola, sendo 250 do ensino fundamental e 40 da educação infantil.

Neste sábado (10) aconteceu o Dia D da Busca Ativa por estudantes evadidos das escolas municipais de Canoas. Durante toda a manhã, equipes da Secretaria de Educação estiveram em diversos endereços para localizar 30 estudantes da EMEF João Palma da Silva, dois da EMEF Ildo Meneghetti, ambas no bairro Mathias Velho, e 20 da EMEF Irmão Pedro e um da EMEF Rondônia, no Estância Velha. O João Palma e o Irmão Pedro são os dois colégios que mais registram casos de abandono escolar. No total Canoas tem 290 estudantes fora da escola, sendo 250 do ensino fundamental e 40 da educação infantil.

Neste Dia D foram contatadas 29 famílias, nas quais as educadoras puderam conversar com os responsáveis, bem como com as crianças, para ouvir os motivos da evasão e tentar que estes estudantes retornem o quanto antes para sala de aula. A secretária adjunta da Educação, Cinara Portela explica que os motivos da evasão são diversos, como a mudança de cidade, pessoas que vieram para Canoas durante a pandemia e hoje já retornaram para seus municípios de origem, dificuldades de aprendizagem, problemas de saúde, a necessidade de trabalhar para ajudar no sustento das famílias, dentre tantos outros. “Nos casos que buscamos hoje a escola já fez tudo que estava ao alcance, como ligações e outras tentativas de contato, mas todas sem sucesso. Então, esta é mais uma alternativa para encontrarmos estes alunos.”

Cinara explica que o trabalho de busca acontece diariamente e, eventualmente, acontecem ações como a deste sábado. “O nosso objetivo é não deixar nenhum pequeno canoense fora da escola.”

A secretária observa que após o período de pandemia, muitos alunos estão com depressão, o que reflete na aprendizagem e, algumas vezes, em abandono da escola. “Estamos localizando estes quadros depressivos para dar o acompanhamento devido para estas crianças e jovens. Sabemos que depois da pandemia o perfil dos estudantes mudou. Temos que ter essa atenção e trabalhar as questões emocionais.” Destaca que a pandemia aflorou problemas e que o aluno voltou mais agitado, sem paciência, isolado, desmotivado e com menor tempo de concentração. Pontos estes, que já são trabalhados pela rede municipal.

Paralelamente a atenção aos professores também mudou. “O nosso professor também está diferente. Durante a pandemia foram desafiados a um novo método de ensino, com as aulas on line, respondendo os estudantes e pais quase que 24 horas por dia. Estamos diante de um novo cenário educacional.”

No dia 28 de setembro uma nova ação de busca ativa acontecerá, desta vez nas escolas. Neste dia, cada colégio de ensino fundamental e infantil fará uma busca ativa em loco, acompanhado de representantes do Conselho Escolar, CPM e Grêmio Estudantil.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!