Indústria têxtil da Paraíba é destaque em evento nacional do Banco do Brasil

A Santa Luzia Redes e Decoração foi caso de sucesso do Banco do Brasil em 14 de fevereiro, em São Paulo. A “Apresentação Pública sobre Divulgação de Resultados – Referentes ao exercício social findo em 31/12/2022″ aconteceu com a presença dos conselhos de administração da instituição, de diretores e vice-presidentes de vários setores e da presidente Tarciana Medeiros, que tomou posse em janeiro, sendo a primeira mulher no cargo em 200 anos de história do Banco do Brasil.

Armando Dantas, diretor executivo da empresa, foi selecionado como referência brasileira em empreendedorismo. E a Santa Luzia indicada entre milhares de empresas em todo o país no quesito varejo. Na ocasião, Dantas foi convidado a narrar a sua história e esteve ao lado de Luíza Trajano, selecionada como empresa de grande porte e, ainda, Lismara Paiva Martins Pádula Castro, do agronegócio.

O executivo contou a história de 37 anos da empresa, desde de quando vendia redes porta a porta até o momento atual, em que atende o varejo com cinco lojas próprias, e-commerce, um Centro de Distribuição em São Paulo, além do mercado B2B no Brasil e no exterior. O executivo ressaltou a importância do Banco do Brasil como apoiadora do desenvolvimento dos negócios da empresa ao longo dos anos.

Desde 2015, quando começou a trabalhar a inovação com soluções no design e também a investir em comunicação, a empresa Santa Luzia vem trilhando um caminho com expectativa de reconhecimento do mercado. No entanto, não pensava que seria tão rápido. “Tivemos um crescimento exponencial, principalmente no mercado internacional onde aumentou a demanda pelos nossos produtos desenvolvidos com base em sustentabilidade ambiental, social e econômica”, declarou Dantas.

Cadeia produtiva inclui mulheres das áreas rurais preservando a cultura do artesanato

Durante o evento houve claro interesse dos participantes sobre o arranjo produtivo que inclui a agricultura familiar, a tradição da tecelagem manual e mecânica e a inserção do artesanato local nos artigos de decoração. A cadeia produtiva em São Bento vai desde o cultivo do algodão natural e orgânico no campo até o chão de fábrica — passando pela industrialização. “Os acabamentos manuais envolvem mulheres em áreas rurais e remotas distantes até 400 km da fábrica”, completou. Após sua fala, foi cumprimentado com entusiasmo por Tarciana, presidente do Banco do Brasil (foto).

Para Wander Justino, gerente geral da agência São Bento do Banco do Brasil, onde está a sede da indústria têxtil, o relato do diretor da Santa Luzia evidenciou a importância de uma empresa se desenvolver do local para o global. Para ele, o destaque que mais gerou entusiasmo do público foi para a geração de renda para mulheres artesãs que culmina na preservação do artesanato local. “Isso dá o exemplo para todos da importância de crescer e se desenvolver com base em pilares cultural, ambiental, social e econômico”, concluiu o gerente.

No final do evento, Dantas distribuiu presentes da Santa Luzia para os envolvidos por meio de sorteio. A intenção do executivo foi criar um momento de descontração que pudesse contagiar a todos e, sobretudo, demonstrar agradecimento, como o próprio afirmou. “É importante chegarmos até aqui. Tenho fé em Deus que podemos ainda fazer muito mais com a ajuda de nossos colaboradores como o Banco do Brasil”, finalizou.

 

Contato para entrevista: armando@redesantaluzia.com.br 

Assessoria de impresa: sandravasconcelos.press@gmail.com

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!