Streaming ao vivo é alternativa de ensino para professores

Com o avanço da tecnologia, as plataformas de streaming ao vivo se tornaram uma ferramenta importante para educadores e alunos, tendo este espaço ganhado cada vez mais adeptos. De acordo com dados do Censo da Educação Superior 2021, realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), a modalidade EAD cresceu 474% entre os anos de 2011 e 2021. O estudo revelou que os ingressos por meio de EaD (Ensino a Distância) correspondiam a 18,4% do total, e dez anos depois, esse percentual chegou a 62,8%.

Segundo a pesquisa do Inep, em 2019, levando em consideração apenas as instituições privadas, pela primeira vez na história, o número de ingressantes em EaD ultrapassou o de estudantes que iniciaram a graduação presencial. Em 2021, no total de alunos que começaram seus estudos, 70,5% escolheram estudar de forma remota.

Algumas das principais plataformas de streaming ao vivo utilizadas por educadores e alunos são o Google Meet, o Zoom e o Microsoft Teams, espaços que ganharam muitos adeptos, durante a pandemia de Covid-19. Nestas ferramentas, é possível compartilhar a tela do computador, apresentar slides e realizar atividades em grupo. Assim, professores e alunos interagem em tempo real, independentemente da localização física de cada um, possibilitando o acesso ao conhecimento a qualquer hora e em qualquer lugar.

Para Maurício Ferro, sócio da 2BeLive, o streaming é uma tecnologia que permitiu o consumo de filmes e séries através da transmissão de dados pela internet, sem que seja necessário fazer o download dos conteúdos. Além disso, as plataformas de ensino ao vivo possibilitam a utilização de diversos recursos que auxiliam no processo de ensino e aprendizagem, como vídeos, slides e chat para tirar dúvidas.

As metodologias de ensino a partir do EAD

Segundo o especialista, as plataformas ao vivo permitem interações e trocas muito além das tradicionalmente experimentadas em uma sala de aula. Produtores de conteúdo e audiência podem estar em qualquer lugar do mundo, mas suas experiências estarão conectadas. “Transmissões ao vivo possibilitam que os espectadores interajam entre si e com professores ou palestrantes, enriquecendo o debate”, completa. 

Além disso, as plataformas de streaming ao vivo possibilitam que o conteúdo das aulas seja gravado, permitindo que os alunos possam assistir novamente a qualquer momento e revisar o conteúdo. O espaço também é utilizado para palestras, seminários e outras atividades, que permitem que os estudantes possam participar sem precisar se deslocar até o local onde elas estão sendo realizadas. “Essa tecnologia e metodologia pode contribuir no desenvolvimento e carreira das pessoas”, afirma Ferro.

Entre as metodologias ativas no EaD, o especialista cita a gamificação, que consiste em técnicas comuns aos games em situações de não jogo. “Fóruns com debates online são espaços virtuais para os estudantes aprenderem de maneira colaborativa”, explica Ferro. Assim como os estudos de caso, que possibilitam o aprofundamento do conhecimento sobre um tema, ocorrendo novas investigações sobre o assunto.

Maurício Ferro também cita o Design Thinking, que estimula o pensamento crítico e criativo dos estudantes em diversas áreas e situações. Além da sala de aula invertida, que ocorre quando o conteúdo passa a ser estudado em casa, enquanto as atividades são realizadas em sala de aula. “É uma das metodologias ativas que tornam o aprendizado virtual mais envolvente”, completa. 

Para saber mais, basta acessar: www.mauricioferro.com.br 

 

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!