22.5 C
Canoas
23 de junho de 2024

CANOAS: Polícia apreende produtos de loja em que líder de facção é sócio

A investigação apurou que ele investiu mais de R$ 350 mil no estabelecimento

CLIQUE AQUI para receber as notícias no WhatsApp

A Polícia Civil apreendeu mesas, cadeiras e uma geladeira de uma loja de móveis de luxo no bairro Marechal Rondon, em Canoas, na última semana. O local era alvo de uma das ordens judiciais da Operação Galápagos.

LEIA MAIS NOTÍCIAS: CANOAS: CRIMINOSOS QUE EXPULSAM MORADORES DE CONDOMÍNIO SÃO ALVOS DE OPERAÇÃO

Entenda o caso

A investigação do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) apontou que o líder de uma facção criminosa responsável por um esquema de tráfico de armas e drogas em todo o Rio Grande do Sul investiu, pelo menos, R$ 350 mil no estabelecimento em Canoas.

No local, durante a operação, foram apreendidas mesas, cadeiras e uma geladeira. A proprietária foi presa temporariamente e, contou aos policiais no momento da prisão, que não sabia que o sócio era traficante.

“Com os lucros obtidos com o tráfico de entorpecentes, as lideranças da associação criminosa giravam grandes quantias de dinheiro advindo de suas condutas, sustentavam vidas de luxo, adquirindo veículos de alto valor agregado, residindo em apartamentos situados em bairros nobres, alguns em cidades litorâneas, inclusive, financiando a abertura de comércio com capital proveniente dos crimes praticados pelo grupo criminoso, além de realizarem gastos com viagens e compras de terrenos e imóveis”, esclarece o delegado Rafael Liedtke, que conduziu a investigação.

A polícia não divulgou o nome dos investigados e nem o da loja.

Ofensiva

O objetivo da operação é combater uma associação criminosa armada interestadual, bloqueando contas bancárias, sequestrando imóvel de alto padrão, apreendendo veículos de luxo, bens e valores em espécie, visando à descapitalização do grupo criminoso.
Foram presas 19 pessoas e apreendidos oito veículos de luxo. Dentre as armas, estão um fuzil, uma submetralhadora, diversas pistolas e revólveres, além de um drone e diversas munições. Um imóvel, avaliado em 1 milhão de reais, foi indisponibilizado.

Em coletiva de imprensa realizada na sede do Denarc, em Porto Alegre, o Chefe de Polícia, Delegado Fernando Sodré, destacou a importância da operação e o resultado obtido: “Trata-se de uma grande operação para enfrentar um grupo criminoso vinculado a uma outra ocorrência que tivemos meses atrás, com dezenas de armas apreendidas em Gravataí e várias pessoas presas. A partir daquela apreensão, iniciou-se uma investigação que culminou com o resultado que tivemos hoje”.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!