Da redação | O suspeito de estuprar uma criança de seis anos durante um voo, na madrugada de segunda-feira (4), foi solto pela Justiça Federal no fim da tarde desta quarta-feira (06).

Para a reportagem de GaúchaZH, o advogado do suspeito, Raul Linhares, afirmou que houve um mal entendido no caso.

Conforme a Justiça Federal, ele foi solto por não possuir antecedentes criminais, ter residência e emprego fixos.

No entanto, o suspeito vai precisar utilizar tornozeleira eletrônica, obedecer o recolhimento noturno e não viajar sem autorização prévia, além de comparecer periodicamente na Justiça.

A investigação prossegue, agora na fase dos depoimentos.

De acordo com o depoimento da mãe da vítima, o crime ocorreu enquanto a menina dormia, durante um voo entre Guarulhos e Porto Alegre. Conforme o relato, ele se aproveitou da escuridão da aeronave e colocou a mão na coxa da criança, que tem seis anos.

Ao perceber a situação, a mãe comunicou a tripulação, que acionou a PF.

Ele ocupava cargo em comissão (CC) na Prefeitura de Porto Alegre, que exonerou o suspeito das atividades nesta quarta-feira (06).