Foto: arquivo pessoal

FOTO: Arquivo Pessoal

Da redação | A semana deve ser decisiva para a investigação do rapto, estupro e morte de Naiara Soares Gomes, sete anos, cujo corpo foi encontrado no dia 21 de março, num matagal perto da represa do Faxinal, em Caxias do Sul.

Conforme o delegado responsável pelo caso, Caio Marcio Fernandes, o inquérito deve ser concluído pela Polícia Civil até a próxima sexta-feira (6). “A conclusão depende apenas de um laudo da perícia e de detalhes pontuais do processo”, conta.

Segundo as investigações, Naiara foi morta no dia 9 de março, o mesmo dia em que foi raptada quando fazia o caminho pelo bairro Esplanada para chegar à Escola Municipal Renato João Cesa, pela manhã. O crime causou grande comoção, além das investigações policiais,  grandes e grupos de busca se mobilizaram para encontrar a menina enquanto ela esteve desaparecida.

Ela foi violentada e morta em uma casa no bairro Serrano, onde morava o autor confesso do crime Juliano Vieira Pimentel de Souza de 31 anos, que segue em um presídio da Região Metropolitana.

Além do caso Naiara, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) também pretende concluir até sexta-feira a investigação sobre o estupro de outra menina, crime cometido por Souza em outubro do ano passado.  Assim como Naiara, a outra criança foi raptada a caminho da escola. Após ser abusada na casa de Souza, a criança foi levada para a zona sul de Caxias, onde sofreu novo estupro por parte do homem. Souza fugiu e deixou a criança no local, onde ela recebeu ajuda de populares.

Ao concluir os inquéritos, a DPCA deve pedir a prisão preventiva de Souza, que está preso temporariamente.