Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Policiais civis prenderam, nesta quinta-feira, o dono de uma pizzaria de Alvorada, por coagir e ameaçar testemunhas durante a investigação da morte de dois jovens. O crime foi cometido pelo segurança do estabelecimento, na noite de 25 de março.

Conforme a Polícia Civil, seis funcionários, testemunhas durante a investigação do caso, foram orientadas pelo proprietário do local a negar o vínculo empregatício do segurança. Naquela noite, ele discutiu com a dupla por causa da quantidade de sachês de catchup que haviam pegado da pizzaria.

Segundo o delegado do caso, Edimar Machado, o dono do restaurante fez uma reunião um dia após o crime com os funcionários para que mentissem sobre o caso. A situação só piorou para o comerciante, que será indiciado por coação de testemunhas. O delegado observou que alguns empregados falaram a verdade.

O segurança foi capturado quatro dias após o crime e permanece detido no sistema carcerário.

Relembre o caso

No dia 25, cinco amigos foram até o local e pediram uma pizza. Ao saírem do restaurante, o grupo teria pegado alguns sachês de catchup. O segurança passou a seguir os clientes até o estacionamento e disse que eles não deveriam levar os condimentos. Uma discussão foi gerada e acabou em morte, com o segurança desferindo tiros contra o grupo. Dois morreram e os outrs três foram encaminhados ao Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre.