Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | O empresário preso durante uma operação da Polícia Federal por locaute foi solto na madrugada desta terça-feira. Ele havia sido detido temporariamente durante a paralisação dos caminhoneiros na semana passada.

Segundo a defesa do investigado, a prisão temporária tinha prazo de cinco dias. A Polícia Federal pediu mais cinco, mas a solicitação foi negada.

O advogado do empresário, Lúcio Constantino, aguarda agora a conclusão do inquérito para dar prosseguimento ao processo na Justiça.

A Polícia Federal havia prendido o homem por locaute, em vista de mensagens enviadas via WhatsApp aos caminhoneiros. Nelas, o empresário teria ameaçado os alvos caso retornassem ao trabalho.

O objetivo das ameaças seria para provocar o desabastecimento de grãos, combustíveis e proteína animal na Serra Gaúcha. Segundo apurou a PF, o empresário é administrador de uma grande transportadora com sede em Caxias do Sul.