Foto: Divulgação

Da redação | Funcionários de uma empresa terceirizada que presta serviços ao Samu iniciaram uma greve no começo da noite desta segunda-feira no Rio Grande do Sul. O motivo alegado pela categoria é a falta de pagamento dos salários e do vale-transporte.

O movimento foi confirmado pela Secretaria Estadual da Saúde. Segundo a pasta, outros servidores estão sendo remanejados para fazer o atendimento das ocorrências e o órgão estadual toma as providências para garantir o atendimento sem prejuízo à população. A Secretaria ainda informou que o pagamento à empresa é feito regularmente, mas a terceirizada não está repassando os valores aos funcionários.

Os trabalhadores são telefonistas e rádio-operadores, que têm o papel de distribuir as ocorrências recebidas pelo 192. A decisão foi tomada em comum acordo nessa segunda-feira para paralisar a regulação, em vista da situação “considerada insustentável”.

“Os funcionários receberam o último salário em maio, que foi pago em julho”, relatou uma média que não quis se identificar.

As cidades que possuem regulação própria – Bagé, Caxias do Sul, Pelotas e Porto Alegre – não são afetadas com a greve. As demais estão enfrentando as consequências da paralisação. Demandas estão sendo recebidas pelos Bombeiros através do 193 ou até mesmo pela Brigada Militar no 190.