FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | O candidato a Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, cumpriu agenda de campanha em cidades do Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (27). Ele passou por Canoas, Caxias do Sul e Porto Alegre.

Haddad chegou ainda pela manhã em Caxias. Na Serra, ele foi recebido por eleitores e correligionários. Na Praça Dante Alighieri, o candidato falou da necessidade de reativação da indústria na Serra Gaúcha. “Nós temos em Caxias Sul uma das maiores produtoras de carroceria de ônibus. Nós compramos, num programa que eu criei (durante o governo Lula) mais de 35 mil ônibus escolares, uma boa parte produzida no Rio Grande do Sul, e isso parou. O Polo Naval, o estaleiro da região, está todo parado. Tinha estaleiro com mais de 30 mil postos de trabalho e hoje não tem 500 trabalhadores.”

A tarde, Haddad foi para Canoas, na Região Metropolitana. Acompanhado de Manuela D’Avila (PCdoB) candidata a vice, Miguel Rossetto (PT) candidato ao governo, Abigail Pereira (PCdoB) e Paulo Paim (PT) postulantes ao senado, Haddad falou sobre a grave crise econômica que atinge o país. “Muita gente, por exemplo, acaba indo parar no hospital com ferimentos porque está sem dinheiro para comprar o gás e acaba cozinhando com álcool. Muitos dos candidatos que estão na disputa querem aumentar  o imposto do pobre”, comentou.

Ainda falando na situação econômica, Haddad chamou a atenção dos eleitores para a grave crise financeira que vive o Rio Grande do Sul. “Para solucionar o problema vocês tem que votar em quem abre as portas dos palácios para o povo. Vamos fazer isso, ao contrário dos outros que dobram o valor do trem sem olhar na cara do povo”, finalizou.

Depois do ato, Haddad seguiu para agenda no Centro de Porto Alegre. Para isso, ele e centenas de pessoas que acompanhavam a agenda, foram de Trensurb até a Capital. No trem, lotado, militantes puxavam cantorias de apoio.

FERNANDO HADDAD CANOAS
Ao lado de apoiadores, Haddad foi de trem até o Centro de Porto Alegre – FOTO: Jaime Zanatta/GBC