FOTO: Jaime Zanatta/GBC

FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | Das 400 urnas eletrônicas da Zona 134 de Canoas, na Região Metropolitana, seis apresentaram problemas no dia 7 de outubro, data do 1º turno das eleições. Os equipamentos passaram por uma auditoria pública na última quinta-feira (18).

Eleitores e integrantes de partidos políticos participaram da auditoria. Quem estava lá foi a aposentada Valdemira de Aguiar. Ela relatou que quando foi votar para governador, a tela da urna ficou preta. “Eu apertei para corrigir e voltou, aí quando fui digitar para presidente, só apareceu a foto de um dos candidatos e a votação encerrou sozinha. Minha preocupação é saber se o voto foi computado para esse candidato, que por sinal, não era o meu”.

AUDITORIA NA URNA ELETRÔNICA
Atenta, a eleitora aposentada Valdemira confere a auditoria na urna em que votou no dia 7 – FOTO: Jaime Zanatta/GBC

A chefe de cartório da Zona 134, Elisângela Silveira, ressaltou um outro problema apresentado por eleitores. Muitos, digitavam o candidato de um cargo, para outro cargo, o que acabou anulando o voto. “Mais de 110 mil eleitores votaram para presidente, quando o cargo a ser escolhido era o de governador. Esse é um número que nos chama a atenção”.

A urna apontada pela eleitora Valdemira era a da seção 427 que fica na escola O Acadêmico. Durante a verificação dos dados, ficou claro que não havia nenhuma irregularidade com o equipamento. “Confiem no nosso sistema. São Milhões de fiscais que estão à disposição para resolveram os problemas dos eleitores”, finalizou o juiz titular da Zona Eleitoral 134, Sandro Antônio da Silva.