Foto: Divulgação/ Arquivo pessoal

Foto: Divulgação/ Arquivo pessoal

Da redação | A Polícia Civil investiga o caso envolvendo a morte da menina Eduarda Herrera de Mello, de nove anos, que havia sido sequestrada na noite do último domingo (21), em Porto Alegre. “Temos algumas linhas de investigação”, relatou a delegada Adriana Regina da Costa, diretora da Delegacia Estadual da Criança e do Adolescente (Deca). O corpo da criança foi encontrado às margens do Rio Gravataí, na altura do km 23 da ERS-118, em Alvorada.

O reconhecimento partiu da família da menina, que foi até o local, pela manhã, sendo possível a identificação oficial. A causa da morte será confirmada através de exame de necropsia. Já a investigação irá transcorrer em conjunto com a divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Alvorada, cujo titular é o delegado Edimar Machado. Por parte do Deca, por parte da titular Andrea Magno.

As linhas de investigação não são detalhadas para não atrapalhar o andamento do processo. No entanto, a hipótese de que o caso teve a ajuda de algum conhecido não é descartada. Câmeras de monitoramento são colhidas na região do bairro Rubem Berta, local do sequestro. A família acredita que a criança pode ter sido morta durante um ritual, hipótese que não será analisada pela polícia.

NAS MARGENS DA ERS-118 | Corpo de menina sequestrada é encontrado