Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Da redação | Agentes da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Canoas, coordenados pela delegada Clarissa Demartini, deflagraram a operação Alvo Certo, com ações na Região Metropolitana e no interior do Estado. A ofensiva foi deflagrada após investigações com relação à violência doméstica.

Os policiais civis cumpriram três ordens judiciais em cinco endereços. Por estratégia operacional, os mandados foram cumpridos em três etapas, sendo a última nesta sexta feira (02).

Iniciada ainda no início da semana, o objetivo foi apreender armas de fogo, lícitas e ilícitas, que foram utilizadas para ameaçar ou intimidar mulheres vítimas de violência doméstica.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

A ação apreendeu 23 armas, dentre as quais um fuzil calibre 308, uma carabina calibre 44, um rifle calibre 22, 4 espingardas calibre 12, 9 pistolas e 6 revólveres.

Um homem foi preso em flagrante em Pontão com uma espingarda calibre 28 raspada.

Uma das ameaças que deu origem ao mandado de busca foi filmada pelo circuito interno de monitoramento do local onde o fato aconteceu. No registro, é possível ver o acusado com a arma em punho sendo contido por outras pessoas.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

A delegada Clarissa salienta que esta é a maior investida deste ano contra agressores de violência doméstica visando a retirada de armas de fogo. “Durante todo o ano de 2019 foram apreendidas 32 armas de fogo, sendo 23 delas apenas esta semana”. A ação tem como objetivo conferir maior segurança à vítima de violência doméstica, para que possa retomar sua vida. Outro viés que pode ser destacado é que, mesmo a arma sendo lícita, o agressor pode ter seu direito restringido quando utiliza o objeto para a prática de crimes.

O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, delegado Mario Souza, esclarece que: “a operação Alvo Certo é alusiva ao mês de agosto, onde se comemora o aniversário da Lei Maria da Penha e se estenderá pelos próximos 30 dias.” E que “essa grande apreensão de armas demonstra o potencial de agressividade dos agressores e que a polícia civil agiu rapidamente para desarmar os agressões.” Por fim, ressalta que a “DEAM/CANOAS está atenta e além das medidas de prevenção com várias investigações em curso no intuito de proteger as mulheres.”