Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Da redação | De acordo com o boletim médico divulgado nesta sexta-feira (30), Deborah Barbosa de 30 anos segue internada, em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário (HU) de Canoas. Ela era uma das passageiras que estava no coletivo da Vicasa que foi incendiado por criminosos na última terça-feira (27).

Segundo relato de familiares, a paciente teve piora no quadro clínico desde que chegou no HU, chegando a ficar em coma induzido. Minutos após o crime, ela foi levada para o Hospital de Pronto Socorro de Canoas (HPSC), mas foi transferida em seguida. Deborah está no terceiro mês de gestação.

Além dela, o cobrador Osmar da Rosa de 59 anos, segue internado em estado grave no HPSC. Ele inalou muita fumaça durante o incêndio.

Leia mais:

Incêndio em ônibus no Mathias Velho pode estar ligado ao tráfico de drogas

Noite de patrulhamento reforçado na Estação Mathias Velho

Investigação do incêndio em ônibus continua; criminosos foram identificados

O crime

Testemunhas relataram que quatro criminosos, encapuzados, chegaram em um Palio de cor branca. Carregando combustível em garrafas, os homens entraram e jogaram o líquido inflamável no ônibus. Na sequência, eles teriam mandado os ocupantes do coletivo saírem do veículo – um modelo articulado, que fazia a Linha Integração Mathias Velho.

O incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros Militar. As chamas também danificaram a parada de ônibus e chamuscaram algumas áreas nas proximidades. O Instituto Geral de Perícias (IGP) foi acionado para avaliar a cena do crime, que foi isolada pela Brigada Militar (BM). Os autores fugiram no carro e não foram localizados.

A caça aos criminosos está acontecendo na cidade. O patrulhamento foi reforçado tanto pela BM quanto pela Polícia Civil.