Foto: Jaime Zanatta/ GBC

Da redação | Lançado nesta semana, o edital de licitação do transporte público de Canoas norteará a escolha da empresa que ganhará a concessão do serviço. O processo abre chance para outras companhias, possibilitando o fim do monopólio da Sogal.

O certame obriga que a companhia vencedora circule com ônibus com idade média dos ônibus menor que a praticada hoje. Além disso, abre caminho para a aquisição de ônibus elétricos, que não utilizam combustível fóssil, no caso dos coletivos o diesel.

Segundo o prefeito Luiz Carlos Busato, a concessão garantirá a qualidade do serviço. “Estamos assegurando que os ônibus tenham wi-fi, acessibilidade e ar-condicionado”.

Além disso, Busato falou sobre o investimento em ônibus elétricos. “Faremos uma proposta para que o recurso que a empresa vencedora da licitação deve depositar para o Fundo Municipal de Transportes vá para a aquisição de alguns ônibus elétricos. É uma forma de começarmos a ter uma frota realmente sustentável”.

Canoas possui, atualmente, uma média mensal de 1 milhão de passageiros de ônibus coletivo, e 160 mil de seletivo. O contrato previsto na licitação é único nas modalidades de transporte coletivo e seletivo na cidade de Canoas. A licitação obriga também que os ônibus sejam equipados com câmeras internas e externas, GPS e sistema de bilhetagem eletrônica.

“Uma das melhores frotas do Brasil”

O secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, Ademir Zanetti, comentou a situação do transporte coletivo quando assumiu a pasta no inicio de 2017. “Quase metade da frota tinha mais de 15, 16 anos. Mudamos isso e agora temos uma das melhores frotas do Brasil. 92% da frota é acessível a todos e a maioria dos coletivos tem até acesso a internet”.

Zanetti também ressaltou que o sistema deve permanecer semelhante ao atual, ocorrendo apenas ajustes pontuais em alguns quesitos. “As linhas da Sogal vão continuar as mesmas com a nova empresa. Vamos otimizar o sistema como um todo”.

A nova concessionária de transporte deverá ter uma frota de 138 veículos para as linhas comuns. Para o transporte seletivo, o número de veículos exigidos no edital é 27.