Foto: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | A Polícia Civil já está investigando a morte de Dario dos Santos de 44 anos. Ele foi morto a tiros de fuzil enquanto conduzia um GM Cruze – emplacado em Canoas – pela BR-116, no trecho de Sapucaia do Sul.

O caso está com a 1ª Delegacia de Polícia da cidade. Conforme o apurado pelos investigadores, até o momento, Dario foi executado por criminosos que interceptaram o carro em um ponto de fluxo mais intenso e dispararam diversos tiros. O número exato ainda não foi informado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP).

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A polícia também procura imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais próximos ao local do crime. No dia, populares relataram que viram uma motocicleta se aproximando do veículo. “Eu estava em um posto de combustíveis quando vi uma moto perto do carro e escutei os disparos. Dois homens estavam nela”.

Dario tinha saído do Instituto Penal de São Leopoldo, onde cumpre pena no regime semi-aberto. O homem, que também era conhecido como Chapolim ou Véio Dario, tinha envolvimento com o tráfico. Em 2012, por exemplo, ele foi preso com cocaína pelo Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Natural de Capela de Santana, Dario morava em Nova Santa Rita.

Perícia

O Instituto Geral de Perícias (IGP) trabalhou por cerca de uma e meia no local onde Dario dos Santos de 44 anos foi morto a tiros na manhã desta sexta-feira (18). O crime aconteceu em um dos trechos mais movimentados da BR-116 na cidade de Sapucaia do Sul às 7h em um dos horários de maior fluxo da rodovia.

A perícia teve dificuldades para abrir o veículo (Foto: Jaime Zanatta/GBC)

Ainda não é possível confirmar quantos tiros foram efetuados. O que foi apurado no local pela reportagem de Agência GBC é que, pelo menos um disparo, atingiu o pescoço de Dario. Populares que viram o crime, também assistiram o trabalho da perícia. “Eu tava no posto de combustíveis e só escutei a rajada de tiros. Vi uma moto se aproximando do veículo e disparando”, contou um metalúrgico que não quis se identificar.

O caso já está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil da cidade. Perto do posto de combustíveis que fica metros de onde o carro conduzido pelo homem parou, foram encontradas munições de fuzil 556. “Ainda não temos nenhuma novidade sobre o homicídio”, comentou o delegado Thiago Carrijo, que vai responder pela investigação.

O crime

Dario foi morto a tiros no km 252 da BR-116 no sentido interior – capital. A vítima estaria sozinha em um veículo Cruze de cor branca, com placas de Canoas e acabou morrendo no local.

Os vidros e a lataria do carro ficaram marcados pelos diversos disparos efetuados na direção do motorista.

O homem, de acordo com a polícia, tinha antecedentes por tráfico e cumpria pena no regime semi-aberto, vinculado ao Instituto Penal de São Leopoldo. Ele saía todas as manhãs do presídio.