Foto: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | A greve do magistério no Rio Grande do Sul entrou no terceiro dia nesta quarta-feira (20). A categoria decidiu cruzar os braços na última quinta-feira, após a divulgação do pacote de medidas do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Conforme o 20° núcleo do CPERS, que responde pela categoria em Canoas, 17 escolas paralisaram totalmente. Outras 19 seguem funcionando, mas com alguns casos de adesões ao movimento.

A reportagem de Agência GBC fez um levantamento sobre quais escolas pararam e quais estão funcionando.

Escolas paradas

– Barão do Amazonas;

– Instituto Carlos Chagas;

– André Leão Puente;

– Colégio Marechal Rondon;

– São Francisco de Assis (aderiu nesta quarta-feira, 20);

– Margot Giacomazzi;

– Padre Jaeger;

– Planalto Canoense;

– Affonso Charlier;

Escolas com adesão parcial:

– Vasco da Gama;

– Clotilde Batista;

– Guanabara;

– Gomes Vasconcellos Jardim;

– Cônego José Leão Hartmann;

– Guarani;

– Bento Gonçalves;

– Visconde do Rio Branco;

– Jasmelino Jardim;

– Guilherme de Almeida.

Escolas que não atenderam as ligações:

– Jussara Maria Polidoro;

– Fátima;

– Brigadeiro Ney Gomes da Silva;

– Protásio Diogo de Jesus;

– Cristóvão Colombo;

– Germano Witrock;

– Alvaro Moreyra;

– Bartolomeu de Gusmão;

– Cel. Vicente Freire;

– Antônio Francisco Lisboa;

– Escola João XXIII;

– Victor Hugo Ludwig;

– Miguel Lampert;

– Érico Veríssimo.

Escolas que não pararam atividades:

– Canoas.

Essa reportagem seguirá em atualização nas próximas horas, conforme a reportagem for recebendo retorno das escolas que não atenderam as ligações.