Foto: Ulbra/ Divulgação

Ex-funcionários da Ulbra reclamam da falta de pagamento das verbas rescisórias de dezembro. Os profissionais pertencem a diversas áreas, e haviam sido desligados em 2019.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A Associação Educacional Luterana do Brasil (Aelbra), mantenedora da Ulbra, informou aguarda autorização judicial para efetuar os pagamentos, em função da recuperação judicial homologada em dezembro.

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Privado dos Vales do RS (Sintep Vales), o acordo previa o parcelamento das verbas rescisórias em valores fixos para quitar salários, 13º, FGTS, indenizações e férias.

Os sindicatos representantes dos técnicos e administrativos entraram em contato com a direção da Aelbra na segunda-feira (06) cobrando explicações sobre o não pagamento da parcela de dezembro do acordo.

As entidades foram informadas que no decorrer da terça (07) estariam sendo realizados os depósitos correspondentes. Em alguns casos, por causa da instituição bancária, os valores podem estar disponíveis apenas nesta quarta (08).