Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil voltou a prender nesta quinta-feira (27) um suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, em General Câmara, na Região Carbonífera. Uma ação terminou na prisão dele e de seu comparsa, em um sítio. A dupla utilizava tornozeleira eletrônica.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Considerado um dos líderes do tráfico em Sapucaia do Sul, Celso Luis Oliveira dos Santos, 46 anos, tem ligação com uma facção do Vale do Sinos. Ele atuava na Região Metropolitana, mas residia na Região Carbonífera. Santos tem antecedentes criminais por tráfico, associação ao tráfico e porte ilegal de arma de fogo.

Com a dupla, foram apreendidos uma pistola com numeração raspada, uma luneta que costuma ser acoplada em fuzis, dinheiro e celulares.

Santos havia sido preso no dia 14, no mesmo local, durante a Operação Explosão, que investigou o aumento do número de homicídios relacionados com o tráfico de drogas. “Ele é suspeito de participar de, pelo menos, três homicídios”, diz Luciane Bertoletti, titular da 2ª DP de Sapucaia do Sul.

A investigação, coordenada pela delegada, apurou 10 casos de homicídios registrados entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020. Os envolvidos nos crimes foram identificados e alvos das 19 ordens judiciais – foram 11 mandados de busca e apreensão e oito de prisão.

Os mandados foram cumpridos em Sapucaia do Sul e em General Câmara. Além disso, a delegada apurou que todos os óbitos investigados têm relação com o tráfico de drogas.

Conforme o tenente-coronel Vladmir Luis Silva da Rosa, que comanda o 33° BPM, a Brigada Militar atua com rigor para evitar novas mortes. “Onde houver homicídios a Brigada Militar vai atuar com força até encontrar os seus autores, desarticulando pontos de tráfico de drogas”, ressalta.