Foto: reprodução

A reconstituição do caso Rafael está marcada para 18h desta quinta-feira (17). Por meio da reprodução simulada, será possível entender os passos até a morte do menino, em Planalto, no Norte do RS.

Leia mais >> Do sumiço à confissão: mãe matou o filho e escondeu o corpo ao lado de casa

Rafael Mateus Winques, 11 anos, desapareceu no dia 15 de maio e foi encontrado morto 10 dias depois ao lado da casa da família. A mãe dele, Alexandra Dougokenski, 33 anos, confessou o crime. Ela disse em depoimento que administrou doses elevadas de medicação, e que não teve a intenção de matar.

Alexandra e seu outro filho, de 17, que também estava na casa no momento do crime, irão participar da simulação. O objetivo é saber se a versão da mãe de Rafael é verdadeira e se o que foi dito por ela tem coerência.

O Instituto Geral de Perícias (IGP) apontou que Rafael Mateus Winques de 11 anos foi morto por estrangulamento. Isso contradiz o que a mãe, Alexandra Dougokenski, declarou em depoimento.

Ela explicou que decidiu ocultar o cadáver do filho depois de verificar os sinais vitais dele e perceber que estava morto. Segundo o advogado Jean Severo, Rafael passou mal após a mãe dar diazepam. Conforme ele, Alexandra ficou desesperada e abalada psicologicamente.

Ao perceber que o filho estava morto, ela teria arrastado o corpo dele com uma corda até a casa ao lado. A própria mãe comunicou o “desaparecimento” do menino.  A mulher alegou que cometeu o crime sozinha.