Foto: Jaime Zanatta/GBC

A região de Canoas se manteve na bandeira vermelha, mesmo com o pedido de revisão encaminhado pelo prefeito Luiz Carlos Busato. A classificação de alto risco para o coronavírus havia sido anunciada no sábado (20), mas o Governo do Estado estipulou um prazo de até 24 horas para que municípios encaminhassem um recurso, explicando os motivos que levariam o governador Eduardo Leite reconsiderar a bandeira laranja.

No fim da tarde desta segunda-feira (22), em transmissão ao vivo pelas redes sociais, Leite confirmou a permanência de Canoas e outros 17 municípios da região de agrupamento R08 na bandeira vermelha. Os dados apresentados no recurso foram insuficientes para o abrandamento das restrições. Além do documento, Busato e o prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal, se reuniram antes da live com o governador para tentar derrubar a classificação de alto risco para o contágio.

As justificativas foram as seguintes: as prefeituras de Canoas e Esteio abriram 16 novos leitos de UTI, sendo 10 no Hospital de Pronto Socorro (HPSC) e três no Hospital Universitário (HU), ambos em Canoas, e seis no Hospital São Camilo, em Esteio. Com isso, a quantidade de vagas livres nas UTIs da região passam de 15 para 34, mesmo número da última semana. Além disso, o Hospital Universitário (HU) de Canoas inaugurou 200 novos leitos na última semana.

A suspensão do comércio não essencial inclui, além das lojas, shoppings e centros comerciais, os salões de beleza e barbearias. Segue suspenso o funcionamento de bares, casas noturna, centros esportivos salões de festas e espaços kids. Também não é permitida a realização de eventos, festas e atividades que resultem em aglomeração de pessoas, tanto em espaços privados, como domicílios; quanto em espaços públicos, como praças, parques e quadras de futebol.

Continuarão em funcionamento, mas com restrições, os estabelecimentos que prestam serviços essenciais, como supermercados, farmácias, clínicas de saúde, padarias, restaurantes, lojas de materiais de construção e ferragens, postos de combustíveis, agropecuárias, oficinas mecânicas, agências bancárias e distribuidoras de gás.

Restaurantes não podem receber clientes, apenas funcionar por telentrega, drive-thru ou retirada. Podem ser flexibilizadas pelas prefeituras as exigências em cultos religiosos, transporte público e academias de ginástica.

O decreto deve ser publicado nas próximas horas pela prefeitura.

Mesmo com as restrições mantidas, o prefeito de Canoas afirmou ainda no domingo, antes da decisão definitiva da bandeira, que o município tomará medidas mais enérgicas. “A partir de terça-feira iremos restringir muitas atividades para evitar a circulação de pessoas na rua e tomaria, de qualquer forma, medidas mais enérgicas para solicitar o uso de máscara pela população”, disse Busato.

Leia também >> Busato tem expectativa de que Canoas mude para bandeira laranja na próxima semana

Uma novidade anunciada pelo governador durante a transmissão foi a possibilidade de que municípios sob bandeira vermelha sem registro de hospitalização e óbito por Covid-19 nos últimos 14 dias poderão adotar, por meio de regulamento próprio, protocolos para as atividades previstos na bandeira laranja, desde que mantenham atualizados os respectivos sistemas de informações. Na região de Canoas, são 10 municípios contemplados. A lista do municípios pode ser conferida clicando aqui.

Além disso, os demais municípios com classificação vermelha poderão adotar protocolos próprios para setores pré-determinados: administração pública, transporte coletivo urbano; e bancos e lotéricas.

Ao todo, o governador analisou 30 recursos apresentados por municípios e associações. O Gabinete de Crise do Estado decidiu reverter uma das cinco bandeiras vermelhas anunciadas preliminarmente no sábado. Apenas a região de Palmeira das Missões foi beneficiada.

A lista completa com as restrições para cada setor está disponível no site do distanciamento controlado.