Foto: Prefeitura de Canoas/Divulgação

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, anunciou medidas emergenciais para evitar um colapso na saúde de Canoas. Cirurgias eletivas, sem caráter emergencial, foram suspensas e equipes que atuavam nos procedimentos serão transferidas para atendimentos de UTI e leitos clínicos.

As medidas foram tomadas após Busato comunicar que o sistema de saúde de Canoas está chegando ao limite da capacidade de atendimento. Segundo ele, “a proximidade desse limite se deve ao fato de que, nas últimas 72 horas, o número de internados com suspeita e confirmação de coronavírus mais que dobrou”. Ele reforçou que a cidade chega nesta situação “mesmo com todas as medidas para ampliação de leitos e abertura de hospitais de campanha.”

Busato informou que já comunicou o Palácio Piratini e municípios que integram a região 8 no sistema de distanciamento controlado que, entre eles, estão Esteio, Nova Santa Rita, Montenegro e Sapucaia do Sul. “Tudo o que podemos fazer, estamos fazendo. E vamos continuar. Somos o município do Estado que mais abriu leitos durante a pandemia. Nos, próximos dias, vamos liberar mais dez leitos de UTI no nosso HU. Mas o crescimento do surto de contaminação vem numa velocidade enorme”, disse o prefeito.

Além do crescimento de leitos ocupados, Busato relatou que a saúde do município tem tido baixas nas equipes. “Apesar de contratações e muitas chamadas realizadas, tem sido difícil admitir profissionais habilitados. A demanda aumenta, assim como a falta de medicamentos.”

Busato finalizou contando que “Canoas atende 5 mil pessoas por dia – além dos canoenses, gaúchos de mais de 150 municípios. Com todos, tenho a responsabilidade de ser realista e transparente. A previsão de uma situação ainda mais aguda, infelizmente, está se confirmando. A expansão da pandemia é muito grave”.