pc canoas jaime 2
Foto: Jaime Zanatta/ GBC

Além de ser sequestrada pelo ex-marido, Tainá Rodrigues, 24 anos, também chegou a ser estrangulada pelo homem, que foi preso nesta segunda-feira (24) em Montenegro, no Vale do Caí. O caso movimentou diversos órgãos de segurança pública com a realização de diligências nos últimos três dias.

Conforme apurou Agência GBC, o preso foi identificado como Donizete Izidoro, 25. Ele é apontado pela Polícia Civil como autor do sequestro de Tainá, ocorrido no sábado (22). Conforme os investigadores, Donizete monitorou os passos da ex-mulher até efetivar o rapto dela no bairro Harmonia.

O casal estava separado desde segunda-feira passada (17), quando Tainá foi agredida pelo homem e decidiu rompeu o relacionamento, o que não era aceito por ele. As agressões não foram registradas na polícia.

Com o objetivo de reatar a relação, na sexta-feira (21), Donizete procurou a ex-mulher na casa da mãe dela. Na ocasião, novamente, Tainá foi agredida. Diante da negativa, o homem puxou a vítima para o interior de seu veículo, chegando a arrancar com metade do corpo da vítima para fora do automóvel.

Cerca de uma hora depois, Tainá foi liberada pelo agressor. Ela ficou machucada no pescoço, pois ele a estrangulou. A vítima também ficou lesionada no pé.

No sábado, o agressor monitorou a movimentação da vítima nos arredores da residência. Ao perceber que Tainá estava em um carro de aplicativo, Donizete, que conduzia um Gol de Cachoeirinha, cortou a frente do veículo da plataforma e obrigou a vítima a acompanhá-lo. A partir deste momento, os familiares não tiveram mais contato com ela.

Iniciou-se, então, uma série de diligências para encontrar a mulher desaparecida. Uma força-tarefa conjunta foi montada, envolvendo diversos órgãos de segurança do Estado. No domingo (23), por volta de 19h, a vítima foi liberada pelo sequestrador em um posto de combustíveis de Canoas.

Em depoimento, Tainá relatou que ficou em poder do agressor desde o final do dia de sábado até o domingo e que o ex-marido dirigiu sem rumo, passando por Nova Santa Rita e Montenegro, onde decidiu se esconder em um motel, onde ambos passaram a noite. A vítima conseguiu convencê-lo a liberá-la, mediante promessas de que reatariam a relação.

Na manhã dessa segunda, por volta de 6h, os policiais recberam a informação de que ele estaria em um motel de Montenegro. O agressor foi localizado e estava na posse de um revólver calibre .38, com seis munições intactas e uma deflagrada.

“Nossa maior preocupação era encontrar a vítima com vida, por isso envidamos todos os esforços, juntamente com outras instituições de segurança, para que localizássemos o cativeiro onde estava escondida. A liberação da vítima trouxe fôlego para seguirmos na localização do agressor, que já estava com a prisão preventiva decretada”, explicou a delegada Clarissa Demartini, titular da Deam de Canoas.

Para o delegado regional Mario Souza, titular da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM) de Canoas, “a segurança da mulher era a prioridade na condução dos trabalhos de investigação, e com a parceria que se estabeleceu com a Brigada Militar e a Polícia Rodoviária Federal foi possível deixar em alerta o estado todo a fim de localizar a vítima e agressor”.

O preso será encaminhados ao sistema prisional.