Foto: Polícia Civil/Divulgação

Dois suspeitos de atirarem um rojão numa ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na tarde da última segunda-feira (5) foram presos pela Polícia Civil na quarta (7). O carro que eles usaram também foi encontrado.

Conforme a polícia, os dois confessaram o crime e disseram que foi um ato de vandalismo. Em depoimento, além de falarem que não havia motivo, a dupla disse que fumou maconha antes de atirar o rojão. “Eles resolveram fazer arruaça sem escolher vítima e sem nenhuma motivação, tanto é que atiraram rojões em outros lugares um pouco antes”, comentou o delegado responsável pela investigação, André Mocciaro.

Eles vão responder, em princípio em liberdade, pelo artigo 251 do Código Penal, conforme o primeiro parágrafo: expor a perigo a vida, integridade física e patrimônio de outro, com pena de um a quatro anos de prisão e multa.

Dois socorristas, que foram acionados para depor novamente entre terça-feira e esta quarta-feira, tiveram ferimentos leves. Um deles teve escoriações em uma das pernas e outro teve um leve problema auditivo, sendo os dois atendidos e liberados no mesmo dia do crime.