Foto: Agência GBC

A Agência GBC iniciou na noite do dia 13 a série de entrevistas com os candidatos à prefeitura de Canoas. O entrevistado desta quinta-feira (29) foi a Simone Sabin (PRTB).

https://youtube.com/watch?v=LFaIQz82Wd4

Durante 20 minutos a candidata falou sobre seus planos para caso seja eleita prefeita de Canoas, o que a levou a concorrer ao cargo, questões econômicas que o município enfrenta, saúde, segurança pública e mobilidade urbana.

A candidata começou a conversa contando o por que se candidatou ao cargo de prefeita de Canoas. “Nunca fui candidata a nada, porém, fui coordenadora política por 34 anos. Já vi muitos dos candidatos que eu ajudei mudando sua visão quando chegaram ao poder”.

Segundo Simone, o Hospital de Pronto Socorro, em sua gestão, voltará a ser referência na saúde. “O que falta hoje é uma boa gestão. O Hospital de Pronto Socorro, quando eu saí de lá, era muito bem equipado com os melhores equipamentos do mundo. Quando assumir, irei descobrir o que aconteceu lá. Também temos que ver as questões dos postos de saúde. A minha gestão não irá terceirar a saúde”, coloca.

A candidata também visa implementar escolas militares es Canoas, porém, segundo ela, será apenas para quem quiser. “Cada pai sabe o que é melhor para seu filho, ninguém será obrigado a frequentar. Também vamos implementar recursos no ensino básico, pois há alunos de ensino médio que não dominam os assuntos básicos”.

Simone também apresentou seu projeto de Parque Tecnológico na conversa com GBC. “Não é uma escola, mas sim, um Centro Profissionalizante. Queremos dar início na qualificação da mão de obra canoense.”

De acordo com a candidata, a Guarda Municipal é essencial para Canoas, pois é quem fica mais próximo da população e que são necessários recursos para aprimorar o trabalho dos policiais. Simone também se mostrou favorável ao porte de armas. “Sou favorável ao porte de armas. Eu mesma tenho posse e porte. Sou favorável desde que todos os pré-requisitos sejam preenchidos”, explica.

Simone falou na conversa que a população canoense sofre há anos com o transporte público, e os contratos licitatórios precisam ser estudados. “O primeiro passo é estudar os contratos e ver o porquê o transporte não está sendo fiscalizado e se esses contratos estão sendo cumpridos, pois o transporte público é primordial”.

A candidata afirmou que pretende trazer mais empresas para Canoas, mas para isso, elas precisam confiar no município. “A primeira coisa que as empresas enxergam é a mão de obra qualificada. É aí que entra o nosso parque tecnológico. Também temos que desburocratizar Canoas e ter bom plano urbano para que as pessoas consigam chegar aos seus empregos”.