Foto: Reprodução/ Prefeitura de Canoas

Pela primeira vez, desde que começou a pandemia e a classificação por bandeiras, todas as 21 regiões do Rio Grande do Sul estão classificadas como bandeira vermelha. O anúncio foi divulgado no final da tarde desta sexta-feira (27). O Governo do Estado definiu que o Rio Grande do Sul está passando pelo “momento mais crítico” desde que a pandemia começou.

O número de pacientes internados nos leitos da UTI atingiu o pico da série histórica. Na última quinta-feira (26), o Rio Grande do Sul registrou 1.183 pacientes hospitalizados devido ao Coronavírus e chegou a 775 pacientes internados na UTI. Houve uma manutenção do total de leitos e aumento em 13% de pacientes confirmados com covid-19 internados na UTI, que provocou nova redução de leitos livres, chegando ao menor nível desde o início do distanciamento controlado: 0,67.

Segundo o Governo do Estado, diversos indicadores apresentaram pioras ao longo da última semana. O número de casos ativos para o Coronavírus ultrapassou a marca de 21 mil pessoas que testaram positivo, o que representa crescimento de 13%.

Três regiões apresentaram média ponderada que as aproximaram da classificação de bandeira preta, sendo elas: Uruguaiana, Erechim e Bagé.

O último mês apresentou uma piora significativa, pois do dia 30 de outubro a 26 de novembro, os indicadores estavam apontando uma elevação no número de hospitalizações confirmadas pelo Coronavírus de 26%, o que significa aumento de 830 para 1.047. Também subiu de 712 para 928 o número de internados na UTI por síndrome respiratória aguda grave. Foi um aumento de 30%.

Outro índice que cresceu foi o número de internados em leitos clínicos com Coronavírus que antes era de 768 que subiu para 1.183. O crescimento foi 54%. O número de óbitos subiu 31%, de 211 para 276.