Foto: Guarda Municipal/Divulgação

A Guarda Municipal de Canoas e a equipe de fiscalização da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação reforçaram a fiscalização no Centro da cidade, na última segunda-feira (1º) com o objetivo de orientar e fiscalizar irregularidades no cumprimento dos protocolos sanitários de prevenção à Covid-19, impostos pela bandeira preta, de acordo com o modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Estado.

Segundo a Guarda Municipal, ao todo 15 estabelecimentos comerciais foram vistoriados. Algumas lojas estavam classificadas como serviço essencial, de acordo com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), e outras foram fechadas imediatamente. A maior fiscalização nos estabelecimentos comerciais e a orientação em relação ao que pode ou não estar aberto vai continuar enquanto o decreto estiver em vigor.

“Mesmo com o agravamento da pandemia e com a exigência de seguir as regras da bandeira preta, muitos estabelecimentos comerciais ainda insistem em abrir. Temos que ter consciência de que é apenas um período e que esse esforço é preciso para que consigamos frear o contágio do coronavírus e aliviar nosso sistema de saúde”, comenta o secretário de Segurança Pública, delegado Emerson Wendt.

O que não pode abrir:

O comércio de veículos, salões de cabeleireiro e barbeiro, comércio atacadista e varejista não essenciais, tanto de rua como em centros comerciais e shoppings.

Academias, centros de treinamento, quadras, clubes sociais e esportivos.

Cursos de dança, música, idiomas e esportes.

O que pode abrir com restrição:

Nos serviços em geral, restaurantes (à la carte ou com prato feito) podem funcionar apenas com tele entrega e pague e leve, e 25% da equipe de trabalhadores. Essa definição também vale para lanchonetes, lancherias e bares.

O comércio atacadista e varejista de itens essenciais, seja na rua ou em centros comerciais e shoppings, pode funcionar de forma presencial, até às 20 horas.