Foto: Jaime Zanatta/GBC

Os prefeitos do Litoral Norte do Rio Grande do Sul decidiram na manhã desta quarta-feira (3) decretar lockdown no próximo final de semana, 6 e 7 de março. Eles optaram ser mais restritivos que o decreto estadual, porém alguns municípios foram desfavoráveis, levando em consideração suas peculiaridades locais.

O lockdown prevê o fechamento de todas as atividades econômicas, incluindo supermercados. Farmácias deverão funcionar com sistema de tele entrega, assim como os restaurantes. Os postos de combustíveis permanecerão abertos, com as lojas de conveniência fechadas. Todas as demais atividades não essenciais deverão estar fechadas da zero hora de sexta-feira, dia 05 de março de 2021, até às 5h do dia 08 de março de 2021. As atividades essenciais permanecerão em funcionamento.

“Nossa proposta é aliviar a tensão no sistema de saúde, que se encontra completamente esgotado no Litoral Norte do RS”, explica o presidente da Amlinorte (Associação dos Municípios do Litoral Norte), prefeito Flori Werb, de Itati. Os prefeitos levaram em conta na decisão os elevados índices de contaminação e óbitos na região, atendendo também a orientação do Centro de Operações de Emergência (COE) da 18ª Coordenadoria Regional de Saúde do Litoral Norte. A região até a última terça-feira (2) se encontrava em colapso na rede assistencial de saúde, com aumento no número de pacientes em fila de espera aguardando leitos, sendo 40 para UTI e 56 para leitos clínicos.

A região bateu novamente os recordes negativos desde ontem, 02 de março, com:

– 815 novos casos em 24 horas, atingindo o total de 33.786 casos confirmados;

– 11 novos óbitos (5 em Tramandaí, 2 em Osório e um em Capão da Canoa, Caraá, Santo Antônio da Patrulha e Terra de Areia) totalizando 568;

– Taxa de ocupação de UTI de 100%;