Foto: Jaime Zanatta/GBC

Foi solto na noite desta quinta-feira (25) o agora ex-vereador de Cachoeirinha Manoel Luis de Avila de 52 anos. Ele foi preso quando ainda era parlamentar, no dia 3 de dezembro de 2020, em flagrante por tráfico de drogas em uma ocorrência com mais de 600kg de maconha.

Na época, a reportagem de Agência GBC apurou que ele era proprietário de um sítio que foi alvo da operação. Os investigadores apontaram que o local, onde funciona uma associação beneficente, era um depósito de drogas. O vereador negou para a Polícia Civil qualquer envolvimento com o crime.

Agora, ele conseguiu um habeas corpus para responder o processo em liberdade. “Nossa próxima etapa é resgatar o nome dele desse poço em que foi atirado. Já vencemos uma que é ele poder responder em liberdade. Vamos prosseguir para provar a inocência dele dentro do processo e ir atrás de quem jogou o nome dele no lixo”, ressalta o advogado de defesa, Antenor Colombo Neto.

Quase quatro meses após a prisão, Manoel sai da Penitenciária de Canoas e reforça que quer provar sua inocência. “Quero provar que sou inocente. Fiquei preso injustamente. Passei aniversário, natal, ano novo e até a minha mãe eu perdi, enquanto estava aqui”, finaliza.

Entenda a investigação

De acordo com a Polícia Civil, a apuração dos agentes revelou uma movimentação de veículos, principalmente na madrugada, no sítio. O levantamento dos policiais entregava que o local era ponto de distribuição de uma organização criminosa. As drogas eram vendidas em Cachoeirinha e em outras cidades da Região Metropolitana.

Os agentes também monitoraram e abordaram um veículo que estava trafegando pelo bairro Jardim do Bosque, cerca de três quilômetros do sítio onde o parlamentar foi preso. Dentro do carro, foram encontrados 600 quilos de maconha. No mesmo dia a Polícia Civil descobriu uma casa em Porto Alegre, que também servia como depósito de drogas, onde foram encontrados e apreendidos mais 200 quilos de drogas.