Receba as notícias de Agência GBC no WhatsApp

A Justiça condenou o executor da modelo de Cachoeirinha, Nicolle Brito Castilho da Silva de 20 anos, a uma pena de 18 anos e seis meses em regime inicial fechado. Ele vai responder pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e destruição de cadáver.

De acordo com o promoter de Justiça, Marcelo Rasquin Bertussi, Nicolle foi assassinada por vingança, mediante dissimulação e com tortura. Os envolvidos no crime estavam convencidos de que ela havia delatado a rivais o endereço onde estava um integrante de uma facção criminosa.

A modelo foi torturada e morta em junho de 2017, em Cachoeirinha. Imagens de uma câmera de monitoramento registraram o momento em que Nicolle é vista pela última vez saindo de casa. Queimado, o corpo teria sido jogado depois nas águas do Guaíba. Até hoje, o cadáver não foi encontrado.