Foto: ilustrativa/divulgação/Polícia Civil.

Na manhã desta sexta-feira (8), a Polícia Civil deflagrou a Operação Phoenix, com o apoio de 120 policiais. Foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão, sendo 9 em casas prisionais, onde gerentes do tráfico seguiam coordenando as atividades criminosas. A investigação da polícia apurou que traficantes torturavam outros membros da mesma facção. 

A operação é resultado de nove meses de investigação e apurou a prática dos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e tortura praticados por integrantes de organização criminosa que atua, principalmente, no município de Alvorada. A ação foi concentrada no Bairro Piratini, Beco Natal, em Alvorada e Vila Elsa em Viamão. 

Receba as notícias pelo WhatsApp

A facção investigada tem por característica a aplicação de torturas em seus comandados que perdem drogas para a polícia ou que não seguem suas ordens. Durante a investigação, apurou-se a prática, inclusive, de homicídios contra integrantes do baixo escalão do tráfico. “Essa característica agressiva com o próprio grupo chama a atenção. Porque geralmente o que vemos são facções que punem pessoas de fora, como clientes ou inimigos, o que também é feito por estes criminosos”, disse para GZH o delegado Juliano Ferreira, titular da 1ª Delegacia Regional Metropolitana.

Como resultado, houve a apreensão de nove telefones celulares, os quais serão objetos de análise. Ainda, uma mulher foi autuada em flagrante pela prática de posse de munição de uso permitido e outra por posse de entorpecentes. 

Durante a semana, ao ser realizado levantamento dos alvos da operação, um indivíduo já havia sido preso pela prática de tráfico de drogas. A investigação prossegue no intuito de buscar mais elementos para a responsabilização de todos os integrantes da facção criminosa.