Foto: Prefeitura de Nova Santa Rita/Divulgação

Siga a Agência GBC no Instagram

O mosquito da dengue, o Aedes aegypti, se reproduz o ano todo, embora seja no verão a maior incidência. No entanto, é preciso de atenção redobrada com os cuidados básicos de prevenção ao vetor. Em Nova Santa Rita, não há casos confirmados, de acordo com o titular da Secretaria de Saúde, Clóvis José Schmitz.

No fim de semana, dias 5 e 6 de maio, as agentes de saúde e endemias estiveram no bairro Sanga Funda para fazer visitação e disseminação da informação. “As equipes realizaram a Pesquisa Vetorial Especial (PVE). Foram visitadas 65 residências e coletadas 97 larvas que foram analisadas no Laboratório de Entomologia localizado na sede da Secretaria de Saúde. Nenhuma identificou o transmissor da dengue”.

A presença de larvas não significa a presença do Aedes aegypti, já que existem muitos outros tipos de mosquitos no território de Nova Santa Rita que não são transmissores de doenças.

Reforce os cuidados

Como o mosquito da dengue voa a cerca de meio metro do solo, as regiões mais atingidas por suas picadas são as pernas, os tornozelos e os pés – o que não impede que ele pique outras partes do corpo humano se houver oportunidade. Os primeiros sintomas de dengue incluem febre, dor de cabeça, náuseas, vômitos, manchas vermelhas na pele e dores nas articulações e nos músculos, além de dor forte atrás dos olhos.

A comunidade deve focar nos cuidados básicos, como vasos de plantas com água parada, potes dos animais de estimação, pneus, garrafas com gargalo para cima e objetos que possam acumular água. Evite a contaminação de calhas e caixas d’água – mantenha os ambientes bem vedados -, faça a higienização correta dos recipientes (use uma esponja para limpar todos os espaços), tenha cuidado com o lixo e faça o uso de repelente.