13.3 C
Canoas
15 de julho de 2024

Enchente em Canoas: Mais de 100 milhões de m³ de água estão acumulados em bairros submersos

Os trabalhos de remoção das águas começaram na última quarta-feira (15)

A Prefeitura de Canoas divulgou nesta quinta-feira (16) que mais de 100 milhões de m³ de água estão acumulados em bairros atingidos pela enchente. Isso é o equivalente, por exemplo, à produção de gás natual realizada diariamente pela Petrobras, segundo dados de 2016.

Para escoar toda essa água acumulada, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, detalhou os primeiros passos do processo para remover as águas que inundaram os bairros do lado Oeste da cidade, especialmente o Mathias Velho, um dos mais atingidos.

Operações já iniciaram

Os trabalhos de remoção das águas começaram na última quarta-feira (15), com a instalação das duas primeiras bombas no final do bairro. Este equipamento foi emprestado por Gilvani, um empresário da região conhecido como “Gringo”.

Para reforçar os esforços, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP) enviou oito motores, e a prefeitura está alugando mais 40 motobombas vindas da Argentina e São Paulo.

LEIA MAIS:

Acesso à Mathias

Para facilitar o trabalho, o prefeito explicou que será criado um acesso ao bairro Mathias Velho a partir da BR-448, pois a área atualmente apresenta dificuldades para a entrada de maquinários e a instalação das motobombas. “É uma operação de guerra para que a gente possa acessar e vamos colocar esses motores, retirar as águas e tão logo a gente coloque esses motores a funcionar vamos fechar os diques que foram rompidos”, explica Jairo.

Em seguida, segundo o prefeito, haverá um fechamento provisório dos diques do Mathias e do Rio Branco “e aí a retirada das águas para que tenhamos um resultado”, conclui. Após o escoamento das águas, serão realizadas obras de elevação nas estruturas que foram rompidas durante a enchente.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!