13.3 C
Canoas
20 de julho de 2024

Criminosos presos em Canoas usavam fundos falsos em latas de desodorante para esconder droga

Criminosos presos em Canoas usavam fundos falsos em latas de desodorante para esconder droga

Durante a operação White Box, deflagrada pela Polícia Civil nesta quarta-feira (26), policiais apreenderam latas de desodorante e de espuma de barbear em Canoas. Dentro dos tubos, foram encontrados fundos falsos para armazenar a droga.

“Isso é um dos artefatos que a gente descobriu com a primeira fase da operação. Eles utilizavam esses fundos falsos para transportar droga, entregar para o consumidor e armazenar”, afirma o delegado Gustavo Bermudes, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO) de Canoas.

Lucro milionário

O grupo criminoso alvo da segunda fase da ofensiva faturava cerca de R$ 1 milhão por mês com a venda de cocaína.

A primeira fase foi deflagrada em dezembro de 2023. Na época, 14 pessoas foram presas. Conforme a Polícia Civil, após a operação, a investigação continuou com base na análise dos dados obtidos com documentos, depoimentos e nos telefones apreendidos. Os policiais identificaram outros integrantes do grupo que atuam com tráfico de drogas e associação para o tráfico.

“A investigação começou no início do ano passado. Em dezembro, nós executamos a primeira fase com a prisão de 14 pessoas e, na data de hoje, nós realizamos a segunda fase da operação com a prisão de mais de 16 pessoas. Todas elas vinculadas ao mesmo grupo, ao mesmo esquema de tele-entrega de drogas”, afirma o delegado Gustavo Bermudes, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO) de Canoas.

Prejuízo para o grupo criminoso

Desde o início da investigação, conforme a polícia, foram descobertos três laboratórios de drogas. Nos imóveis, foram apreendidos insumos e equipamentos para o preparo de cocaína. Além disso, foram apreendidos veículos, armas, celulares e dinheiro. No período, foram presos 41 integrantes do grupo criminoso.

“A gente considera exitosa a investigação, considera que a gente consegue desmantelar um grupo considerável que atua no tráfico de drogas aqui na região e o prejuízo financeiro para eles”, afirma o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado regional Cristiano Reschke.

Balanço da operação

Mais de 190 policiais participaram da ofensiva. Eles cumpriram 99 ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão em Canoas, Esteio, Arroio dos Ratos, Gravataí, Montenegro, Cidreira, Torres e Cachoeirinha.

Durante a ação, foram apreendidos celulares, dinheiro e 2,4kg de cocaína divididos em tabletes e em grande quantidade de buchas prontas para a venda.

Ao longo da ofensiva, 18 pessoas foram presas.

A operação teve o apoio de policiais civis do Rio de Janeiro.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!